FOTOS

VEJA UM ÁLBUM COM 65 FOTOS NO FLICKR

Cerimónia de assinatura do contrato de concessão para a construção e instalação de uma Unidade de Produção de Estruturas Metálicas Offshore situada no Porto de Aveiro

A Ministra do Mar presidiu, este sábado, 25 de Novembro, à cerimónia de assinatura do contrato de concessão para a construção e instalação de uma Unidade de Produção de Estruturas Metálicas Offshore situada no Porto de Aveiro.
O ato decorreu na sede da Administração do Porto de Aveiro (APA, S.A.).

Divulgamos álbum com 65 registos fotográficos do evento.

PARA VER AQUI

O contrato integra-se na Estratégia para o Aumento da Competitividade Portuária que o Ministério do Mar lançou há cerca de um ano, e que contempla a existência de Plataformas de Aceleração Tecnológica, e, de entre estas, o Cluster de Energias Renováveis Offshore.

O investimento previsto é de 29 milhões de euros, sendo 25 milhões por parte da ASM Industries e 4 milhões pela APA.
A nova unidade, destinada à produção de torres eólicas, peças de transição e fundações offshore, irá ocupar uma área de 71.875 m², contando com um cais privativo de 200 metros de comprimento e fundos de 12 metros.
A empresa estima a criação de 105 postos de trabalho, estando o início da produção previsto para 2019.

A localização no Porto de Aveiro e a possibilidade de usufruir de um cais de uso privativo são factores de competitividade a relevar, sabendo-se que devido às dimensões e peso destes elementos os custos logísticos representam, aproximadamente, 20% do custo no caso de um aerogerador. É pois muito relevante a localização num porto, permitindo eliminar o custo de transferência entre o local de fabrico e o ponto de embarque para efectuar o transporte até ao local da instalação.

De sublinhar que o Porto de Aveiro se tem vindo a afirmar como uma plataforma do transporte marítimo que serve o cluster de fabrico de aerogeradores. No Porto de Aveiro são embarcados os geradores, pás e torres tubulares. Pás produzidas em Vagos pela Riablades, sucursal da Senvion; torres e outros elementos provindo da indústria metalomecânica, de que a A. Silva Matos é exemplo.

A importância do Porto de Aveiro neste domínio específico fica bem patente quer no crescimento exponencial registado nos últimos anos, quer na diversificação de destinos. As 4.754 ton registadas em 2014 multiplicaram-se por 6 logo no ano seguinte, tendo atingido em em Setembro último, a cifra de 54.684 ton., representando um crescimento homólogo de 50%; quanto aos destinos, vão do Mar do Norte até à costa oeste do Canadá e ao Japão.